22 de dez de 2010

O Monstro do cano

2Antes de chegar no PEF, todas as pessoas que já tinham vindo aqui me faziam a constante pergunta: "E você? Tá preparada?". Depois da quarta pessoa me questionando isso, resolvi perguntar: "Tô, por que?". E a resposta também era padrão: "ah, lá é muito bom, super calmo, seu marido vai estar sempre pertinho de você, mas é afastado e... tem os bichos, né?"

Para que eu imaginasse a quantidade de insetos, exemplificaram: "as esposas lá, se visitam de carro.". Gente... vocês viram que a distância de uma casa pra outra é mínima...
Eu não sei se a gente deu sorte ou se os bichos foram com a nossa cara, mas até agora eu não vi a "nuvem" de mosquitos que o povo falou! O Hermani diz que é porque ainda não estamos na "época".



Enfim, essa era só a introdução. Esse post é pra contar uma história que não é minha, mas sim da minha amiga carioca Gabi.


Outro dia, estávamos reunidas na cozinha da Gabi promovendo um rodízio de pizzas... Fazendo as massas, os recheios... que por sinal, ficou uma delícia!












Enquanto a gente dava a vida às pizzas, conversa vai, conversa vem, escutamos um barulho vindo da área de serviço. Um barulho característico de um bode gripado...um "béééé", só que super grave, tipo um "boooééé" (queria tanto que você sconseguissem imaginar o jeito certo). Automaticamente, todas nós olhamos pra fora, esperando que um dos bodes aqui do PEF estivesse no quintal (na verdade, EU esperava que ele estivesse no meu cangote, de tão alto que foi o barulho). Mas não tinha nenhum bode ali...



Olhamos com cara de ??? pra Gabi e ela muito tranquila disse: " Vocês escutaram?? Ih, gente, não liga não... é a minha máquina de lavar."






Todas se conformaram e continuamos na arte de cozinhar... De repente, novamente, o barulhão... Aí começamos a analisar: eu perguntei se tinha algum padrão de intervalo do barulho (se acontecia em determinada etapa da lavagem) e a resposta foi não, até porque a máquina estava desligada... na tomada e tudo.
Parênteses: A Gabi tem agonia de bichos. Na casa dela já apareceu aranha, cobra, sapo e ela não está gostando nada disso!
Eu e a outra Gabi (é... somos poucas famílias e temos 3 Gabis... hihihi) começamos a olhar a máquina de perto (demos um tempo nas pizzas, para desvendar o mistério) e a dona da máquina: "Gente, desde o primeiro dia que eu liguei a máquina tem esse barulhão. até o meu marido escutou... ele que descobriu que era a máquina."
Mas não caímos nessa história... Vimos que ao lado da máquina, na parede, tem um cano para saída da água, mas que a Gabi não estava utilizando. Pronto... tinha algum bicho ali dentro! Mas a Gabi (morrendo de medo) insistia que era a máquina.


Mas as dúvidas não cessaram: seria um sapo? seria um morcego? a única certeza é que não era a máquina!
Voltamos para as pizzas, já que o "monstro do cano" (assim denominado pela dona da casa, agora quase convencida de que realmente era um bicho, afinal, "o que os olhos não vêem, o coração não sente") não deu mais as caras, quer dizer, "as vozes". Mas... continuamos atentas.
Conversa vai, conversa vem. na hora que a Gabi falou um pouco mais alto, o "monstro" recomeçou a sua lamúria e tivemos certeza que vinha do cano. Provavelmente o som ficava alto por causa do eco, sei lá.
Mais tarde o marido da Gabi chegou e ela toda emocionada e medrosa foi contar a grande descoberta: "Tem um bicho no cano." E ele: "ah... o sapo?" A Gabi se mostrou surpresa: "Meu filho, você não tinha dito que era a máquina?????" ele ficou gago, nós rimos e a Gabi finalmente se desesperou!! Hehehe!



E, pra finalizar, logo depois apareceu a Raquel pra nos ajudar. Ela é a única, das antigas famílias, que vai ficar este ano conosco. Contamos tudo a ela, ainda rindo das caras e bocas da Gabi e da sua teoria da máquina. E antes que chegássemos ao fim da história, ela diz: "Ah é? Tem um bicho aí dentro, mas ninguém nunca viu, a antiga moradora achava que era um sapo."
Pronto, tudo confirmado!! Na verdade, não foi ele que invadiu o espaço da Gabi, e sim ela o dele. Afinal, que chegou primeiro? hihihi!


À noitinha, todos juntos, comemos pizzas deliciosase rimos mais um pouquinho da história do "monstro do cano"!!



hummmmmmmmmmmmm!!




5 comentários:

  1. HAUAHAUAHAUHAUAHAUAHAUH.Desculpa Gabi,nem te conheço,mas, essa hist e o jeito da Lí contar, eu fiquei imaginado e to rindo sozinha aqui! que comédia,gente!! Esses PEFs do Brasil devem ter mtaaas histórias pra contar!hauhauahauhaua

    ResponderExcluir
  2. hahahaha
    Tem coisas que só o PEF proporciona pra Lívia (e pra gente também, pelo blog!!).

    ResponderExcluir
  3. huahuauahua, mas gente... como assim o bicho tá aí há mais de meses e não morre?? Dentro do cano, sem comida, sem nada... ou será que ele sai e volta? Se bem que o cano desenboca em algum lugar né, pq esse bicho não vai embora? huahuahua, que agonia!

    ResponderExcluir
  4. HAHAHAHAHAHAHAHAHHA me mateeeei de rir imaginando um bode fanho e gripado fazendo "booéééé"

    ResponderExcluir
  5. Gabi,a dona da casa do monstro!27 de dezembro de 2010 11:01

    Isso tudo para sair uma pizza em...rs!
    Contando a todos que quem lava roupa agora é o meu marido até passar o trauma de ir na área de serviço...Afinal um sapo que faz barulho de um bode gripado ñ é fácil de aceitar né?Liviaaa Tinha que ser na minha casa...kkk!OBS:Essa história está fazendo sucesso nas minhas férias no Rio...Tem gente que acha que é mentira,vou passar seu blog p geral!rs!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...